TRE da Bahia teme que sistema de informática do TSE não suporte carga de trabalho da biometrização

Em entrevista exclusiva, presidente do TRE, José Rotondano falou sobre os problemas decorrentes da corrida em busca da biometrização e garante que a justiça eleitoral cumpriu tudo o que era possível para atender a demanda que passa dos limites.

Presidente está em permanente contato com o Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília, acompanhando a resolução dos problemas de informática que impedem a atualização da estatística com rapidez(Foto: #AnB)

O sistema de informática do Tribunal Superior Eleitoral(TSE), ao qual está ligado o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia(TRE), pode não suportar a grande demanda de eleitores que estão recorrendo aos postos montados em Salvador e interior do estado e parar de vez. Este é o temor do presidente do TRE, desembargador José Rotondano, que recebeu o #AgoraNaBahia para uma entrevista exclusiva, quando esclareceu diversas dúvidas e falou dos prazos para o recadastramento biométrico de eleitores.

O desembargador voltou a reafirmar que não há nenhuma previsão de prorrogação do prazo, inicialmente marcado para 31 de janeiro. o TRE enfrenta, no entanto, os problemas técnicos que impedem a atualização dos dados e emita uma estatística para informar a quantidade de eleitores já biometrizados até agora. Mas Rotondano crê que mais da metade dos eleitores já foi atendida. “As filas estão grandes pois as pessoas deixaram para a última hora”, disse ele.

Questionado sobre uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral que estabeleceu o calendário eleitoral e marcou para 9 de maio o prazo final para regularização dos títulos eleitorais, ele explica que essa data não vale para o caso da biometrização.

Assista a entrevista completa e com todas as explicações e justificativas do presidente do TRE da Bahia, José Rotondano, clicando AQUI.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*