Serviços de home care chegam ao Sul do estado

Humanização nos atendimentos é a aposta das empresas

O sonho de quem tem problemas de saúde ficar ao lado da família 24 horas por dia está cada vez mais presente na vida dos baianos, com o sistema home care, onde o paciente é liberado do hospital, mas não tem alta médica. O tratamento segue, porém, em casa, com todos os protocolos que têm como característica principal o atendimento médico humanizado.

Todo o atendimento é feito na residência do paciente, onde são disponibilizadas visitas da equipe multiprofissional, equipamentos para monitoramento, medicamentos e materiais médicos, conforme a necessidade do paciente. Para os atendimentos das intercorrências clínicas dos pacientes, são disponibilizadas pelas empresas de home care, ambulâncias 24h, que estarão a postos para dar o suporte necessário.

Apesar de nem todo tipo de enfermidade se encaixar nesse tipo de tratamento, o ambiente extra-hospitalar é bastante atraente. A decisão é do hospital onde ocorre o internamento, com o aval médico. A análise de custo versus benefício que deve ser feita pela administração do hospital gerará argumentos suficientes para apoiar a utilização dos serviços de home care como estratégia de redução de gastos.

Cidades como Salvador, Lauro de Freitas e Feira de Santana, já contam com o serviço desde 2002 e atendimento a cerca de cinco mil pacientes ao longo desses anos, apenas por uma das empresas prestadoras desse serviço. A partir do dia 13 de junho, moradores de Itabuna e Ilhéus, no Sul da Bahia, também passam a contar com esse benefício, com a chegada da Vitalcare, empresa do grupo Vitalmed.

A médica Cláudia Dórea, gerente da Vitalcare destaca os benefícios do serviço, como “favorecimento do processo de recuperação do paciente, humanização e personalização do atendimento, diminuição dos riscos de complicações clínicas por infecções e redução das reinternações”. Ela também detalha que poderão ter acesso ao serviço “pessoas com sequelas de Acidente Vascular Cerebral(AVC), que apresentam doenças neurológicas crônicas; pacientes com feridas crônicas, aqueles que necessitam completar tratamento com medicação intravenosa, pacientes com necessidade de suporte de máquinas para respirar, com doenças neuromusculares crônicas, como Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), além de pacientes terminais para cuidados paliativos em domicílio”.

A Diretora do Grupo Vitalmed, Priscila Wiederkehr, informa que “a expectativa é que a empresa se consolide no mercado de atendimento domiciliar na região Sul da Bahia, oferecendo o mesmo padrão de excelência e compromisso que já proporciona aos clientes de Salvador e Região Metropolitana, além de Feira de Santana”.

SEM COMENTÁRIOS