Rodoviários recebem aumento real “histórico” e devem voltar ao trabalho nesta quinta-feira(24)

Empresários foram convencidos pelo prefeito ACM Neto a concederem aumento de salário aos trabalhadores, depois de terem insistido em não aceitar qualquer negociação

Depois de dois meses de negociação e impasse com os empresários, os trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de Salvador estão prestes a fechar um acordo para colocar o fim na greve iniciada nesta quarta-feira(23) e com um ganho real considerado histórico para a categoria: 1,1%. Apesar do índice parecer muito pequeno, o diretor do sindicato dos rodoviários, Fábio Primo, ressalta que ao longo dos anos, “a categoria nunca conseguiu um ganho real igual”.

O acordo entre as empresas do consórcio Integra e o Sindicato dos Trabalhadores, foi mediado entre o fim da tarde e o começo da noite, depois da tentativa frustrada de acordo no Tribunal Regional do Trabalho(TRT), três horas antes. Nesse encontro, o TRT chegou a propor que os empresários dessem 2,2% de reajuste, o que não foi aceito pelas duas partes.

Mas diante do prefeito de Salvador que estava ao lado do secretário Fábio Mota e outros técnicos municipais, as partes ouviram argumentos que levaram ao começo de um entendimento e aceitaram que o aumento dos salários seja de 2,7%, o que, deduzindo os valores da inflação dos últimos doze meses, representa o ganho real que passa de 1% e que, diante da quadro econômico por que passa o país, acabou sendo considerado “histórico”, pelo diretor Fábio Primo. “Já tivemos percentuais sobre os salários bem mais altos, mas a inflação era diferente. Hoje estamos com inflação baixa”, explica Fábio.

Após esse encontro em que o aumento ficou estabelecido, os diretores do sindicato dos rodoviários deixaram a prefeitura e acertaram que amanhã, a partir das 4h representantes do órgão de classe estarão na porta das garagens para fazer a comunicação do acordo e votar pelo fim da greve.

Em contato com o #AgoraNaBahia, Primo disse que cada grupo de trabalhadores poderá tomar decisões isoladas de aceitar ou não a proposta. “A maioria de cada garagem vai definir, mas isso não representa que todas as demais aceitem, também. Serão decisões isoladas”, ressalta. A opinião dele é de que todos vão acabar aceitando a oferta e a greve chega ao fim.

Com isso, a população já terá, nas primeiras horas da quinta-feira, a circulação normal dos coletivos, depois de 24 horas de paralisação.

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns aos rodoviários pela atitude! Se todos os brasileiros tivessem essa garra de lutar por seus direitos não estaríamos nessa situação de crise sendo manipulados pelo sistema, com nossos direitos simplificados e sendo constituídos por leis que desmerecem nossa moral como trabalhadores. Se nós tivéssemos reivindicado a reforma trabalhista não seria aprovada, e mais uma vez levaremos um tapa na cara, pois a reforma da previdência será a próxima a bater! E com tudo isso só vamos nos dar conta que estamos em desvantagem quando começarmos a passar fome! Porq desempregado já tem de monte!

DEIXE UM COMENTÁRIO

*