Polícia Federal prende quadrilha de roubo de rodas e pneus de caminhões nas estradas

Onze pessoas foram presas na ação e de acordo com a polícia, a base da operação era em Itabaiana, estado de Sergipe

Onze pessoas foram presas na manhã desta terça-feira(27) em uma operação realizada pela Polícia Federal da Bahia e apoiada pela Polícia Rodoviária Federal de Sergipe no município de Itabaiana. A ação faz parte da operação ‘Estrada Livre’, que tem o objetivo de desarticular uma quadrilha especializada no roubo de pneus de veículos de carga. De Acordo com a PRF/SE, a operação é realizada em três estados do país.

Segundo a PRF, os assaltantes aguardavam a parada de veículos de carga em postos de combustíveis, quando anunciavam o assalto e levavam o caminhão até um local deserto, onde retiravam todos os pneus. Os assaltos aconteciam nas rodovias federais dos estados da Bahia e Minas Gerais. Estima-se que o prejuízo causado pela quadrilha chegava a R$ 70 mil com a retirada dos pneus roubados.

Em Sergipe, já foram cumpridos dois mandados de prisão no município de Itabaiana. Além deles, outros cinco homens foram presos em flagrante por darem cobertura a uma tentativa de fuga. Também Foram apreendidos um caminhão e uma carreta na BR-235.

Vinte e três policiais federais e 72 policiais rodoviários federais cumprem sete mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão em municípios dos estados de Sergipe, Minas Gerais e Bahia.

As investigações foram iniciadas em 2017 na Superintendência Regional da Polícia Federal na Bahia. A maior parte dos crimes ocorria nas rodovias BR 101, BR 242 e BR 324. As vítimas escolhidas eram motoristas de carretas e caminhões, com pneus novos ou seminovos, quando estavam dormindo nas cabines de seus veículos, estacionados nos postos de abastecimento, ao longo das rodovias.

Na ação dos criminosos, as vítimas eram levadas, juntamente com o veículo, para uma estrada vicinal, onde era realizada a retirada dos pneus e rodas, e transportadas para outro caminhão da quadrilha. Após concretizarem o roubo, os criminosos evadiam-se do local, deixando a vítima imobilizada. Além dos pneus e rodas, os bandidos roubavam também os demais equipamentos dos veículos, além de pertences pessoais da vítima.

Calcula-se que para cada evento, as quadrilhas utilizavam cerca de quatro a seis integrantes. Considerando, como exemplo, uma carreta que possui 36 pneus/rodas, uma única atividade poderia gerar um lucro da ordem de R$ 72.000, considerando que em média cada pneu/roda chega a R$ 2.000.

Os envolvidos devem responder pelos crimes de associação criminosa (Art. 288, CP), roubo qualificado (Art. 157, § 2º, CP) e receptação (Art. 180, CP). Se somadas, as penas poderão chegar até 22 anos de reclusão.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*