Peso em excesso na mochila escolar pode causar dores nas crianças

Na volta às aulas, programada para o início de fevereiro na maior parte do Brasil, o excesso de peso nas mochilas escolares preocupa os fisioterapeutas.

“É um problema que preocupa porque o excesso de peso do material escolar tem dificultado a questão da saúde da coluna”, disse, nesta quarta-feira (27), o fisioterapeuta Júlio Guilherme. Segundo ele, é frequente uma criança carregar, às vezes, até dez quilos de material escolar.

O ortopedista Marcos Britto informa que mochilas pesadas podem gerar nas crianças e adolescentes dores musculares e nas articulações, no pescoço e nos ombros. Para Júlio Guilherme, manter o excesso de peso no longo prazo pode causar problemas posturais.

Marcos Britto descarta que o peso da mochila possa causar escoliose, que é um desvio da coluna vertebral. “Escoliose é um problema estrutural. Peso não provoca escoliose”, afirmou Britto. Segundo ele, como a mochila pesada dá dor nas costas, é importante distribuir o peso, especialmente para crianças, evitando ultrapassar 15% do peso corporal.

O ideal, recomenda Júlio Guilherme, é que o peso total não ultrapasse 10% da massa corporal da criança. Até 15%, significa que, se uma criança pesa 50 quilos, a mochila deverá pesar entre cinco quilos e 7,5 quilos.

Recomendações

Para crianças acostumadas com mochilas acima do peso, a recomendação são alongamentos e trabalho de reeducação postural, de modo que a musculatura consiga suportar maior carga. Outra dica é manter a postura reta.

Além do excesso de peso do material escolar, também podem contribuir para desvios de postura a forma de sentar, altura da carteira escolar e atividades com computador.

De acordo com o ortopedista Marcos Britto, é importante a escolha da mochila, que deve ser acolchoada, ter duas alças largas para os ombros e tiras abdominais que a mantenham próxima ao corpo. “Interessante é a opção com rodinhas.”

Britto se refere ainda ao comprimento da mochila. “Ela não pode ficar abaixo da nádega, mas terminar pelo menos uns cinco centímetros acima. A mochila tem de ser proporcional ao tamanho da criança”, afirmou, concluindo que as com apenas uma alça, do tipo “carteiro”, são recomendadas apenas para carregar pouco peso.

Informações da Agência Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*