Pelo mundo afora: Empresário baiano enfrenta estrada congelada em nova etapa da aventura na Noruega

Em viagem por vários países e com parada especial na Escandinávia, empresário se assuta ao encarar a neve na estrada: "O que é que eu vim fazer aqui!"

A cadeia de montanhas denominada Fiordes é uma das atrações para turistas que se aventuram em uma das regiões mais frias da terra. Quanto mais próximo do norte, a viagem vira uma aventura, com muitos riscos(Foto: Davidson Botelho/Arquivo Pessoal)

A nova etapa da aventura do empresário baiano Davidson Botelho que está sendo acompanhada pelo #AgoraNaBahia revela nesta reportagem um dos locais mais complicados para qualquer turista. A região norte da Noruega, país que fica a maior parte do ano debaixo de muita neve não é para qualquer tipo de aventureiro e tem uma estrada bastante perigosa.

A questão nas são as condições de rodovia, conhecida como Estrada 64 e sim, a presença de muito gelo na pista, o que aumenta a possibilidade de acidente e retarda bastante qualquer que seja o trecho escolhido.

Nesta da viagem, Davidson segue dirigindo até encontrar um trecho que, para o motorista brasileiro, seria impossível imaginar em qualquer parte do nosso país continental, ainda que a região seja a mais fria possível. Lá, zero grau é temperatura boa para qualquer época.

Os Fiordes noruegueses, como são é conhecido o conjunto de grandes montanhas com grandes lagos, cachoeiras, estradas em caracol, centenas de túneis escavados pelo homem, balsas para travessias onde não haviam as maravilhosas e longas pontes, tudo muito bem planejado para conviver harmoniosamente com a natureza sem deixar de transformar essa maravilha num excelente produto turístico.

Por causa das montanhas, os Vikings deixaram um legado de obras importantes para quem explora o país através das estradas: os túneis. Em pouco mais de 500 km de viagem, quem pega essa estrada, obrigatoriamente, vai passar por 36 túneis.

Mas além da dificuldade de dirigir longos percusos em uma estrada que faz o carro escorregar bastante, o viajante não consegue seguir em frente sem parar em vários pontos para fotografar as belezas naturais que vai encontrando, além das enormes fazendas com casas de alto luxo construídas em regiões que acabam ficando isoladas pela quantidade de gelo do inverno rigoroso.

O nosso viajante, desta vez, por pouco não desistiu da aventura, ao avistar alguns trechos que pareciam inacessíveis ao tipo de carro que ele dirigia, sem os equipamentos antiderrapagens que devem ser instalados nos pneus. Mas ele resolveu seguir em frente, muitas vezes alimentando o seu desejo de aventura ao som de um cantor brasileiro que fez parte da infância dele e de muita gente: Reginaldo Rossi, que ele fez questão de deixar no último volume em muitos momentos da viagem.

Para curtir o vídeo, clique AQUI.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO


*