No dia da estreia de Jéssica Senra na TV Bahia, veja estratégias da Record para continuar líder

Briga pela audiência ao meio dia entre as TVs abertas ficaram mais interessantes a partir desta segunda-feira, em Salvador

Foi como um começo de jogo, em que o jogador que estreia diante da torcida entra em campo com um certo friozinho na barriga, por maior que seja a experiência. É inevitável essa comparação com o primeiro dia de Jéssica Senra comandando a apresentação do Bahia Meio Dia, na TV Bahia, após anos na principal concorrente e de quem caberá, agora, recuperar os pontos perdidos na audiência no horário das 12.

Nesse jogo de disputa palmo a palmo por cada ponto no Ibope, só esqueceram de combinar com a concorrente – TV Itapoan/Record – que o dia 7 de maio seria festivo e o começo de uma fase importante para a emissora de São Lázaro. A produção do Balanço Geral usou como primeira estratégia, antecipar o começo do programa e, bem antes das 12h o apresentador José Eduardo estava no ar. E o programa deixou claro que todos se prepararam para enfrentar a vontade da TV Bahia de retomar a liderança do horário.

E o Balanço Geral conseguiu ser mais objetivo, foi direto aos assuntos mais polêmicos e explorou bem algumas chamadas matérias “exclusivas”, como o caso do advogado que foi abordado em blitz pela Transalvador e ficou revoltado com o comportamento dos agentes. Também usou uma arma importante na cobertura da cidade: o helicóptero que fez imagens ao vivo de alagamentos na Cidade Baixa.

Quando o Bahia Meio Dia começou, a Record já estava avançada na abordagem de assuntos que considera polêmicos e que fizeram a emissora arrancar a audiência da concorrente. Repórteres espalhados em pontos onde a PM estava agindo e matéria em que exibiu a liberação de um outro advogado sendo liberado após ter sido flagrado embriagado durante uma blitz.

Na tela do canal 11, a estreante Jéssica Senra apareceu com um vestido preto com faixas coloridas na cintura, uma vestimenta, que, de acordo com Marta Flores, estilista ouvida pelo #AgoraNaBahia, foi de “extremo bom gosto” e combinou com perfeição com o corpo e com o jeito da apresentadora.

Como vestimenta não faz audiência, pelo menos no caso de um programa de jornalismo, não importa a avaliação do modelito para o horário das 12h. Jéssica apareceu simpática, sorridente, segura na fala e não hesitou em momento algum ao ler o editorial preparado para a sua apresentação e dos novos objetivos do Bahia Meio Dia a partir desta segunda-feira(7).

A concorrência já estava bem adiantada nas notícias e todos os repórteres já tinham feito, pelo menos, uma apresentação dos seus assuntos, quando a TV Bahia voltou um pouco no tempo e retomou o que antigos editores tinham resolvido banir dos programas: a chamada escalada, aquelas manchetes que anunciam os principais assuntos do programa.

Foi a etapa que acabou esfriando o começo da estreia de Jéssica, por mais que o formato tenha tido a iniciativa de inovar na arte, toda no chamado 3D slim, com tarjas que pretendem ajudar o entendimento da notícia, resumindo, em poucas palavras, o assunto abordado.

A grande expectativa da população, dos milhares de seguidores de Jéssica, era, sem dúvida, notar a postura da apresentadora em relação aos temas apresentados. Resumindo: ouvir a opinião da jornalista que criou um estilo próprio de emitir opiniões duras, porém, muito responsáveis sobre os temas apresentados em reportagens.

Mas ainda não foi desta vez que algo diferente aconteceu de diferente no formado das críticas ou avaliações os temas abordados. A TV Bahia, com os antigos apresentadores, fazia o mesmo: lia as chamadas notas enviadas pelos assessores e, a seguir, os apresentadores davam o “pitaco”, sem aprofundar os temas. Tudo, no entanto, dentro do esperado para a estreia, onde o “friozinho na barriga” é capaz de desarticular ideias que talvez tenham sido preparadas.

Quando o assunto foi o fechamento da Escola Estadual Daniel Comboni, na Avenida Ulysses Guimarães, em Sussuarana, o Bahia Meio Dia deixou o público confuso. Disse que enviou pedidos de explicação para o Governo do Estado e Prefeitura Municipal de Salvador. A confusão está no fato do colégio ser de segundo grau, administrado pela Secretaria de Educação do Estado, portanto. No fim, houve críticas aos dois, sem justificativas da participação da prefeitura nessa questão.

A essa altura do tempo, os assuntos do dia nas duas principais concorrentes do horário, já estavam bem “misturados” e não conseguiam fugir do chamado “factual”. Acidentes, notícias policiais, informações do trânsito, etc. Cada um apostando no seu formato para ganhar a preferência.

Se algo fez diferença na TV Bahia foi a matéria com texto que misturou a linguagem apelativa com a motivacional, abordando a busca de trabalhadores por uma vaga de emprego. A experiente Andrea Silva, ao vivo da sede do SineBahia, fechou a reportagem produzida dias antes, com a notícia positiva de que uma mulher acabara de conseguir entrevista de emprego após incansáveis sete anos de tentativas.

O troco da Record apareceu na abordagem exclusiva do momento da soltura de um advogado Roberto João Starteri Sampaio Filho, acusado de ser responsável pela morte do publicitário Daniel Prata, em 2014, em acidente de trânsito. A emissora apostou na indignação do público para manter o assunto durante um bom tempo no ar.

O jogo da audiência seguiu por um tempo maior que o esperado pelos admiradores de Senra. A estreante apresentadora do Bahia Meio simulou bem um “improvisado” pedido de permissão para participar do Globo Esporte, a próxima atração da emissora e que também vem sofrendo com crise de audiência.

Após encerrar o BMD, ela deu alguns passos para chegar ao vizinho cenário e ser entrevistada por Tiago Mastroiani quando revelou ser torcedora do Bahia e praticante de karatê. Ainda assumiu compromisso de seguir os passos de um idoso que é adepto de atividades físicas regulares.

A partir do fim do GE, o Balanço Geral, na Itapoan/Record, seguiu os passos sozinho. Não deu pra notar expressões que possam ter revelado alguma mexida em números da audiência, mas a expectativa criada em relação à estreia de Jéssica, foi, no mínimo, uma aposta para que os números estivessem à frente das concorrentes.

Esse jogo não dura apenas os 90 minutos de uma partida de futebol, onde, quem entra em campo, tem que convencer o público de que chegou pra ser titular. A guerra pela audiência vai durar muito mais e os adversários são muitos.

No caso da TV Bahia, que resolveu mexer com a vida de vários dos seus profissionais, levando para a sua equipe uma estrela da adversária direta, a expectativa pelos resultados é grande. É como se fosse um time de massa, o tempo todo pressionado a arrancar grandes resultados, independente dos adversários que tem pela frente. Jéssica vai ter que dar muitos dribles, o tempo todo.

1 COMENTÁRIO

  1. Nao gostei da roupa de estreia pecaram nesta parte, na minha opiniao. E quanto a “guerra de audiência ” eu acho que fazer o balanço geral começar mais cedo a intenção era deixar Jessica tensa e melindrosa mas o contrario ela brilhou

DEIXE UM COMENTÁRIO

*