Monterrey do México entra no caso Victor Ramos e desmente CBF

Assunto voltou a ser destaque da imprensa gaúcho durante esta sexta-feira

Novela Victor Ramos pode ter novos capítulos, pois o Internacional insiste em querer ficar na série A, rebaixando o Vitória(Foto: Reprodução)

Novos capítulos da novela sobre o zagueiro Victor Ramos deverão surgir nos próximos dias. Desta vez, eles vem do México, país do Monterrey, que detêm os direitos do jogador. O defensor é o protagonista da briga entre Inter, CBF e Vitória, por conta da sua inscrição na equipe baiana no começo deste ano. Com o aval da Confederação Brasileira de futebol, o jogador foi transferido para o time da Bahia após uma negociação nacional, o que não poderia acontecer, já que o atleta pertence ao Monterrey-MEX.

Essa história está contada na Revista Colorada, de propriedade do Internacional e repercutida amplamente pela imprensa do Rio Grande do Sul nesta sexta-feira(23).

Com uma carta timbrada, com o brasão do clube mexicano e a assinatura do diretor jurídico e representante legal, Antonio Gutiérrez, o Monterrey acusa a CBF de faltar com a verdade, por conta de uma autorização usada pelo Vitória e pela entidade na transferência do atleta. O Monterrey diz que autorizou o procedimento exigido pela FIFA – Via TMS -, firmando negociação internacional e não nacional.

“A afirmação (da CBF, de que o Monterrey teria conhecimento sobre a transferência doméstica), sem dúvida, falta totalmente com a verdade e é notoriamente improcedente, porque a autorização que concedemos foi emitida com a finalidade específica de que foi apresentada para a Fifa, em virtude que o clube brasileiro Vitória havia nos informado que apresentaria uma instrução e solicitação, via sistema TMS, para obter a validation exception (um pedido de exceção à Fifa para que se aprovasse a inscrição de Victor Ramos, já que a janela mexicana estava fechada), que seria necessária para obter legalmente a habilitação do jogador para jogar neste país sul-americano”, escreveu Antonio Gutiérrez.

A carta teria sido destinada a confederação mexicana, já que apenas a federações dos países podem conversar. Não teria como, por exemplo, o time mexicano acionar a CBF. A acusação feita pelo Monterrey se deve por conta das inúmeras versões que recentemente foram divulgadas no Brasil e perante a entidade maior do futebol, a FIFA. Assim como já informado pela Revista, o time mexicano arcou com uma multa no dia 27 de setembro, por não ter cumprido as obrigações estipuladas no regulamento da FIFA, no caso Victor Ramos.

Isso por conta do Vitória ter dado entrada no TMS para realizar a negociação internacional na contratação de Victor e não ter o concluído. A direção do Vitória teria, inclusive, feito uma documentação endereçada a cúpula da FIFA, pedindo a “validation exception”, mas também não concluiu e optou por fazer a transação nacional.

O Inter protocolou documentos junto ao STJD em função das contradições do diretor de registros da CBF, Reynaldo Buzzoni. Ainda foi divulgado recentemente as trocas de e-mails entre o diretor de registros da entidade e o Vitória, onde ele orienta o clube a fazer a negociação internacional, como manda a FIFA, o que não aconteceu.

O STJD entendeu recentemente que não havia irregularidade e arquivou o pedido do Inter.O jurídico colorado, apesar de não confirmar, poderá buscar em outras instâncias a comprovação da irregularidade.

2 COMENTÁRIOS

  1. Está mais do que provado que: Monterrey, Vitória e CBF se enrolaram no caso Vitor Ramos.Porque razão a FIFA iria multar o Monterrey e imediatamente o mesmo acusa ser da CBF a culpa, a CBF por sua vez diz que avisou(alertou) o Vitória sobre o ponto falho da transferência.Então, assumam a culpa e arquem com as conseqüências.A CBF, ainda deve o agravante de acusar o Inter de falsificação, ficou provado que não houve essa atitude do Inter.Cabe ação por dano moral do Inter contra a CBF.A CBF, tem um presidente (Del Nero )um corrupto, não sai do pais por medo de ser preso, então acha que os dirigentes de clubes do Brasil são da mesma laia, seja, administram seus clubes a margem da lei.Até quando teremos que agüentar essa tal CBF, sendo a gestora do nosso futebol ?

  2. Sou colorada e sei que o Inter foi rebaixado por total incompetência dos dirigentes que lá estavam e não por culpa deste caso. O momento é de reformular o clube e reencontrar o nosso futebol. Sou favorável a que o Inter jogue na série B, seja campeão da série B em 2017, suba e seja campeão da série A em 2018. É o Inter!
    Mas… mas…
    CBF junto com o Vitória fizeram errado. O interesse do Vitória era o de ter o jogador, ok. Me pergunto: Qual foi o grande interesse da CBF ao ponto de burlar a lei???
    Dizem que o STJD analisou e arquivou o pedido do Inter de reanálise do caso. Errado! STJD se recusou a analisar os documentos (os famosos e-mails que provam a irregularidade) e arquivou. Sinistro! Muito sinistro!
    CBF diz que Inter falsificou os e-mails e registra em cartório os e-mails provando que o Inter falou a verdade e a transferência foi irregular.
    Fifa vê como irregular o que a CBF diz ser regular e multa o Monterrey. Monterrey diz que CBF mentiu e usou irregularmente o documento que era para ser encaminhado à Fifa.
    Tem que ser esclarecido e penalizado que errou.

DEIXE UM COMENTÁRIO


*