Julgamento dos três responsáveis pelas 19 mortes em acidente de lancha na BTS pode começar em dois anos

Três pessoas são apontadas como responsáveis pelo acidente, em inquérito concluído pela Marinha, onde o julgamento é apenas administrativo

Entrevista coletiva realizada pela Marinha, apontando culpados pelo acidente no mar que matou 19 pessoas em 2007(Foto: #AnB)

O prazo para começar o julgamento dos responsáveis pelas 19 mortes ocorridas em 24 de agosto de 2017, na Baía de Todos os Santos, pode ser de até dois anos, de acordo com a Marinha. O resultado do inquérito foi apresentado nesta terça-feira(23), durante entrevista coletiva na sede do 2º Comando do Distrito Naval, em Salvador, que indiciou três pessoas em inquérito, mas não revelou nomes, apesar de informar as funções.

O piloto da lancha, o engenheiro que expediu o laudo em nome da empresa e o dono da empresa CL Transportes, responsável pela lancha Cavalo Marinho I. O piloto, de acordo com os militares da Marinha, foi imprudente ao não avaliar as condições de navegação e a aproximação de uma onda com cerca de um metro.

Resultado das apurações rendeu 1.200 páginas de inquérito, segundo a Marinha, durante 5 meses de trabalho(Foto: #AnB)

O engenheiro, segundo o inquérito, expediu um laudo sem constar alterações no sistema de estabilização da lancha, na qual foram encontrados blocos de concreto na parte baixa do casco, o que não foi constatado no dia 24 de abril de 2017, quando a Cavalo Marinho I foi inspecionada pela Capitania dos Portos. A responsabilidade das alterações recai, nesse caso, também sobre o dono da empresa que operava a lancha, pois ele, de acordo com o inquérito, sabia da modificação.

Ao todo, segundo o inquérito, foram cerca de 400 quilos de bloco de cimento encontrados no fundo da embarcação, além de dois motores que não estavam dentro dos padrões de peso. Isso teria provocado total desestabilização da Cavalo Marinho, no instante em que houve o impacto da onda, aliada ao vento de 31 nós no local. A lancha saía de Mar Grande em direção á Salvador, na primeira viagem do dia, transportando mais de 100 pessoas, entre tripulantes e passageiros.

Todos os detalhes do inquérito concluído cinco meses depois do acidente, foram informados em entrevista coletiva realizada na sede do Comando do 2º Distrito Naval, em Salvador. O #AgoraNaBahia, transmitiu, ao vivo. Confira, clicando AQUI.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*