Jovens do Calabar começam a estudar para concurso da PM e Corpo de Bombeiros

Vagas para o curso foram preenchidas, mas há vagas no cadastro de reserva

Aula inaugural, preparativa para concurso da PM e Corpo de Bombeiros teve ótima frequência(Foto: Alberto Coutinho/Secom)

A Base Comunitária de Segurança(BCS) do bairro Calabar começou as aulas de um curso gratuito, com 50 vagas, que vai preparar os candidatos para as provas do concurso para a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros que acontecem em agosto. A aula inaugural, realizada na noite de segunda-feira(22), deu boas-vindas aos alunos, explicou o funcionamento do curso e tirou dúvidas sobre o edital.

A ideia de oferecer o curso surgiu de dois policiais da BCS. “Já existia o interesse da Base em fazer esse curso e com a abertura do edital nós aproveitamos o ensejo.”, afirmou a capitã Aline Muniz, comandante da BCS Calabar.

A procura pelas vagas foi grande e já não há nenhuma disponível, ainda que muitos jovens cheguem a todo momento tentando a matrícula. Porém, há um cadastro reserva, caso haja alguma desistência nas primeiras semanas. O preparatório tem duração de três meses, mas se o aluno faltar por quinze dias, a vaga é transferida para outro candidato.

O projeto é voltado para jovens entre 18 e 24 anos que tenham concluído o ensino médio e possam assistir as aulas de 18h30 às 21h30, de segunda a sexta. É o caso de Tiffany Cairo, 18 anos, que já participou de outras ações da Base, como o Garota Comunidade BCS. Inspirada pelo trabalho da PM na comunidade e pela presença de militares na família, ela decidiu participar do curso e tentar uma vaga como soldado. “O curso vai me ajudar a ter compromisso na hora dos estudos, a aumentar as horas de dedicação e ter mais chances de concorrer”, disse a candidata.

A bombeira civil, Micaela Nascimento, vê no concurso a chance de continuar a exercer a profissão, só que com mais vantagens. A jovem de 26 anos vai tentar uma vaga no Corpo de Bombeiros pela segunda vez. Nas provas de 2012, ela não obteve boa classificação, por falta de estudo. Por conta dos plantões no trabalho, ela não conseguiu se matricular em preparatório. Quando soube do curso perto de casa, ela comemorou a oportunidade de somar mais um reforço ao seu esquema de estudos em casa. “Essa ação incentiva os jovens que ainda estão um pouco abaixo do nível de escolaridade”, disse Micaela, se referindo ao nível de preparação da concorrência que tem acesso a cursos preparatórios.

SEM COMENTÁRIOS