Imagens de câmera de vigilância mostram briga entre garis e empresário que morreu na Pituba

Imagens de câmera de vigilâncias ajudam à polícia a esclarecer de que realmente houve conflito, mas qualidade não é suficiente para determinar como tudo aconteceu(Foto: Reprodução)

A polícia já está com quase todos os detalhes que levaram à morte, o empresário Luciano Vieira, que foi enterrado nesta segunda-feira(11), em Salvador. Ele foi internado no fim de semana, depois de ter sido encontrado desmaiado e com sinais de violência no olho e na cabeça, na rua Engenheiro Adhemar Fontes, no bairro da Pituba. As primeiras investigações, levam a garis como culpados pelo crime, de acordo com imagens divulgadas esta noite.(Assista)

As imagens de câmeras de vigilância são a principal prova já conseguida pela polícia para mostrar que o empresário teve desentendimento com os garis, mas a qualidade não é suficiente para estabelecer todos os detalhes da suposta agressão, mas foi o suficiente para que a equipe de garis que trabalhou na limpeza da rua naquele dia do crime fosse intimada a comparecer para depoimento.

De acordo com as primeiras informações, um deles já se apresentou nesta segunda-feira e os demais ficaram de comparecer à 16ª Delegacia, na Pituba. A polícia também já ouviu o depoimento de o porteiro de um prédio que teria acompanhado tudo o que levou o empresário à morte.

E ainda que as informações não estejam bem esclarecidas, tudo o que até agora foi apurado dá conta de que o empresário, ao chegar à rua onde morava encontrou o caminhão da limpeza fazendo o serviço diário, por ser local estreito e sem condições de tráfego de um caminhão e um automóvel por causa de outros carros estacionados, começou uma discussão.

Além disso, o empresário teria sido atingido pelo caminhão, o que acirrou ainda mais o clima, começando uma briga em que o empresário levou a pior. Outras imagens estão sendo avaliadas.

O que a polícia tenta esclarecer, segundo as informações, é, de quem partiu a agressão que acabou provocando a queda do empresário que sofreu traumatismo craniano, tendo morte cerebral decretada pelos médicos do Hospital Geral do Estado(HGE) para onde ele foi levado por uma ambulância do Samu.

Depois de ter órgãos doados por decisão da família que atendeu ao desejo do empresário quando em vida, Luciano, que era proprietário de uma delicatessen no bairro da Pituba foi enterrado sob forte comoção de parentes e amigos ainda nesta segunda-feira.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*