Governo nomeia presidente interino da Petrobras e desmente nova greve de caminhoneiros anunciada para domingo

A informação de nova paralisação começou a ser distribuída em forma de corrente desde a quinta-feira(31) e prosseguiu nesta sexta-feira

O ministro da Segurança Raul Jungmann, desmentiu no fim da tarde desta sexta-feira(1º), que haja qualquer mobilização oficial dos caminhoneiros para começar uma nova greve a partir do próximo domingo. A notícia está sendo espalhada em redes sociais, através de mensagens de áudio, convocando os caminhoneiros para voltar a fechar estradas. O desmentido dessa nova greve foi feito horas depois da nomeação de Ivan Monteiro como presidente interino da empresa, mesmo dia em que Pedro Parente entregou carta de demissão ao presidente Michel Temer (MDB). Monteiro atuava como diretor financeiro da estatal.

De acordo com Jungman, o serviço de inteligência do seu ministério já está investigando a origem de informações sobre nova greve, para tomar as providências. Pelo aplicativo WhatsApp, uma das mensagens diz: “Líderes dos caminhoneiro em greve avisam que a categoria fará uma nova paralisação no domingo (3). Estoquem alimentos e combustíveis porque o Brasil vai parar“. A continuação do texto ainda diz: “Líderes dos caminhoneiros avisam e pedem para todos cidadãos brasileiros estocarem alimentos em casa e encherem o tanque de seus veículos nos próximos três dias“. Segundo o texto o motivo é simples: “O governo vetou as propostas feitas pelo presidente Michel Temer e nova paralisação será feita“.

A disseminação dessas mensagens passou a ser feita a partir da quinta-feira(31), prosseguindo, em forma de corrente durante toda esta sexta-feira, com autoria atribuída a   “líderes dos caminhoneiros”, sem assinatura de entidades ligadas à categoria. “Líderes dos caminhoneiros avisam e pedem a todos os cidadãos brasileiros para estocarem alimentos em casa e encherem o tanque dos seus carros”, alerta uma das mensagens.

Outro comunicado cita que a greve será feita por caminhoneiros e demais motoristas, como forma de reivindicar a redução do preço do diesel, etanol, gasolina, gás veicular e gás de cozinha. “Só vão ter passagem pelas rodovias ambulâncias, funerárias, medicamentos, oxigênio hospitalar e cargas vivas”, completou.

Em um dos áudios, um homem dá detalhes de como deve ser a estratégia da nova paralisação. “Tem três opções: Brasília, casa ou estrada. Quem for para a estrada segunda-feira vai ficar parado. Porque o movimento não tá fraco, o movimento está forte. Quem pensa que o movimento está fraco, está enganado. A ordem é ir pra Brasília e parar lá ou ir pra casa. As trincheiras serão todas fechadas, não vai ter nem estrada de terra para correr. O recado está dado”, diz a mensagem.

Por causa dessas mensagens espalhadas por todo o Brasil, o ministro Raul Jungman atendeu a um pedido de entrevista da Band e falou para o programa Brasil Urgente, da Band, desmentindo que haja essa mobilização e atribuindo o fato a pessoas que querem implantar o terror e a preocupação entre a população e prometendo punição logo que os autores sejam descobertos.

Durante todo o dia, o #AgoraNaBahia tentou contato com a Associação Brasileira de Caminhoneiros, mas os telefones disponíveis não atenderam. (Clique para acompanhar a entrevista de Jungman)

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*