Filho de juiz de direito e um residente em pediatria são presos em operação contra pedofilia em Salvador

Em todo o Brasil, ação da polícia prendeu mais de 90 pessoas, sendo oito na Bahia

Parte do material apreendido para investigar a ação dos pedófilos aqui em Salvador(Foto: Reprodução)

A Polícia Civil da Bahia cumpriu oito dos nove mandados de prisão e busca e apreensão da ‘Operação Luz na Infância’ de repressão à pedofilia, realizada em todo o Brasil nesta sexta-feira(20). Com o efetivo de 76 pessoas, entre delegados, escrivães e investigadores, 21 viaturas foram empregadas na ação em Salvador, nos bairros do Stiep, Chame-Chame, Pituba, Barbalho, Barroquinha, Itapuã, Coutos e Caminho de Areia. Um residente em pediatra está entre os que foram levados pelos agentes e está na cadeia, além do filho de um magistrado.

Os presos foram identificados como: David Gomes Passos, preso no Stiep, 30 anos e é residente em Medicina Pediátrica; Antônio Cláudio Silva Conceição, 46, filho de um juiz, preso no Chame-Chame; Thomas Ferreira Silva Lopes, estudante de engenharia química, preso na Pituba, 22 anos; Ednilton Dias, 67, aposentado preso no Barbalho; Roberval Santos Batista, preso na Barroquinha, 41; Gustavo Oliveira Ferreira, 33, técnico em informática, preso no Caminho de Areia; Jesuíno Marcondes Machado, 79, preso na Pituba, que também foi detido com arma e munição; Robson Cay Rabello, preso em Coutos.

Os alvos da ‘Operação Luz na Infância’, que contou também com orientação da Secretaria Nacional de Segurança Pública(Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), foram identificados por meio de um levantamento de informações da própria Senasp e da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Encaminhados para a Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), em Pitangueiras, os suspeitos serão levados, a seguir, para audiência de custódia na Central de Flagrantes do Iguatemi.

Baseadas em informações e evidências coletadas em ambientes virtuais, a Polícia Civil baiana instaurou inquéritos policiais e representou pelas buscas e apreensões junto ao Poder Judiciário, visando a apreender computadores e outros equipamentos onde estão armazenados os conteúdos de pedofilia, indiciar e prender os criminosos.

Os trabalhos que resultaram nesta operação vêm sendo feitos há seis meses e resultam do aprimoramento do trabalho de inteligência de segurança pública e atuação em modelo de força-tarefa, que reúne num mesmo ambiente de trabalho policiais com expertise e capacitação na repressão aos crimes virtuais e de pedofilia, cenário ideal para coletar e preservar evidências delituosas, garantindo, como consequência, a identificação e posterior condenação dos criminosos.

Pedófilos normalmente são adultos, com preferência sexual por crianças pré-púberes ou no início da puberdade. O complexo ambiente da internet e a ausência de fronteiras no mundo virtual contribuem para atuação dessas pessoas.

A operação foi intitulada ‘Luz na Infância’ por serem bárbaros e nefastos os crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes. A internet facilita esse tipo de conduta e, normalmente, os criminosos agem nas sombras e guetos da rede mundial de computadores.

Participaram desta ação – deflagrada às 6 horas e apontada como a maior da história do combate à pedofilia – além da Polícia Civil, através dos departamentos de Polícia Metropolitana (Depom) e de Inteligência Policial (DIP), da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), da Coordenação de Tecnologia da Informação e Telecomunicações (CTIT) e do Grupo Especial de Repressão a Crimes por Meios Eletrônicos (GME), a Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública (SI/SSP) e Departamento de Polícia Técnica (DPT).

‘Luz na Infância’ significa permitir as crianças e adolescentes, vítimas de abuso e violência sexual, o resgate da dignidade, bem como tirar esses criminosos da escuridão, para que sejam julgados.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO


*