Exportações baianas registram crescimento superior a 32% em setembro

Recuperação da produção agrícola foi um dos fatores que influenciaram no crescimento, segundo os técnicos

O crescimento das exportações faz aumentar o movimento de entrada e saída de navios pela Baía de Todos Santos, em direção aos portos da Região Metropolitana(Foto: #AnB)

As exportações baianas tiveram crescimento de 32,3% em setembro, com volume de negócios que alcançaram US$ 766,2 milhões. O percentual de crescimento é em relação ao mesmo período do ano passado e este é o quinto mês consecutivo de alta nas vendas externas do estado e o segundo melhor do ano, após o recorde registrado em agosto.

De acordo com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia(SEI), responsável pela análise dos dados, o aumento das exportações foi influenciado tanto pela melhora na quantidade exportada (crescimento de 12,5%) como pelos preços, que subiram em média 17,6% em setembro, quando comparados a setembro de 2016. O efeito do aumento sensível de preços no mês passado, resultado do maior dinamismo do comércio global, é visto principalmente nos produtos químicos, que se valorizou 40,2%, cobre (67,7%), derivados de petróleo (50,2%), celulose (17%), além das commodities agrícolas como soja, algodão e frutas.

Impulsionados por melhores preços e pela recuperação da produção agrícola, os produtos básicos foram justamente os que puxaram os números de exportação em setembro, com crescimento de 85,8%, com destaque para a soja que registrou incremento de 100% tanto no volume, quanto nas receitas, que alcançaram US$ 154 milhões. No acumulado do ano, o volume embarcado de soja e seus derivados, já alcança 3,14 milhões de toneladas, 57% a mais que no mesmo período do ano passado.

Mesmo com um real levemente mais valorizado em relação ao começo do ano, os produtos industrializados também cresceram 14,6%, com destaque para os produtos químico/petroquímicos com incremento de 51,4%, metalúrgicos (101,6%), e automotivo (3,3%). 

Importações

Depois de dois meses de queda, as importações reagiram em setembro e registraram crescimento de 12,7%, atingindo US$ 529,4 milhões. O crescimento, apesar de ainda em patamares baixos em valores, foi pautado na categoria combustível, que se elevou 36,7%, principalmente nafta e óleo diesel e nos bens de consumo (34,8%), com destaque para automóveis e eletrodomésticos, que cresceram por conta do câmbio mais favorável.

As compras de bens de capital, relacionada a investimentos, também interromperam sequencia de cinco meses de queda e tiveram crescimento de 6,4% em setembro, o que pode ser um indicativo positivo de recuperação da economia.

Com os resultados apurados até o mês de setembro, a Bahia acumula um superávit de US$ 823,4 milhões em sua balança comercial. As exportações alcançaram US$ 6 bilhões e estão 15,8% acima de igual período de 2016, enquanto que as importações foram de US$ 5,2 bilhões, estando também 3,5% maiores se comparadas a jan/setembro do ano passado.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO