Especialista fala sobre método para largar o cigarro

No Dia Nacional de Combate ao Fumo, o pneumonologista fala sobre vício que causa mais de 50 doenças

O fumo provoca 50 doenças diferentes, destacando-se as cardiovasculares, o câncer e as doenças respiratórias obstrutivas crônicas, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Conscientes dos prejuízos à saúde, os fumantes que decidem abandonar o vício sabem que esta não é uma tarefa fácil. No Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto, o pneumologista Marcel Albuquerque fala sobre a metodologia mais eficaz para tratar a dependência de forma definitiva.

“O cigarro causa tanto a dependência química quanto a psicológica. Isoladamente, nenhum tratamento é eficaz. Pacientes que optam por fazer a reposição de nicotina por conta própria, muitas vezes, não conseguem o resultado esperado a longo prazo, pois a dependência maior pode ser psicológica, por exemplo”, explica o especialista. Marcel Albuquerque afirma que é preciso um acompanhamento médico e psicológico para entender qual a dependência do paciente para que o tratamento tenha êxito.

Estudos mostram que a abordagem multidisciplinar é o método mais eficiente para os pacientes abandonarem o cigarro definitivamente, por meio de consultas médicas com prescrição dos medicamentos apropriados, e sessões de terapia, individual e em grupo, com psicóloga. De acordo com Albuquerque, há casos de pacientes que deixam de fumar nos três primeiros meses de tratamento, e sem medicação. “Eles continuaram sendo acompanhados para eliminar a possibilidade de recaídas e para avaliação do quadro clínico”, conta o pneumologista.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*