Dia de festa no futebol: É domingão de BAVI na Fonte Nova

Clássico começa às 16h, só com a torcida do Bahia no estádio

Este domingo(22) marca mais o dia de mais um clássico do futebol da Bahia e um dos mais tradicionais do país: Bahia e Vitória entram em campo a partir das 16h, jogo que vale muito para as duas equipes: de um lado, o Bahia que quer sair da zona de rebaixamento e do outro, o Vitória que está a três pontos desse grupo que leva à segunda divisão e luta ficar ainda mais distante do Z-4.

Pena que, mais uma vez, a disputa em campo será vista, apenas, por um lado da torcida, pois, por imposição extracampo, só uma torcida pode comparecer ao estádio quando os dois times se enfrentam aqui na Bahia. É esta, uma forma clara de garantir, com mais facilidade, a tão sonhada paz que, ao contrário dos “organizadores” do futebol baiano, não é quebrada pelos amantes do futebol.

Sem ter o que fazer, torcedores do Vitória vão ter que se conformar com a tela da TV para ver o clássico, enquanto, dentro do estádio, tricolores vão botar toda a pressão possível para ver o time conquistar os pontos necessários para melhorar o clima tenso que está formado depois de resultados negativos que o time encarou nos últimos jogos.

O empate contra a Chapecoense, na quinta-feira, na Arena Condá, em Chapecó, não teve o perdão da maioria dos torcedores, que viram o time dominar o jogo, fazer o primeiro gol, mas não ter capacidade para manter o placar até o fim. O resultado disso foram agressões de um grupo, que de forma intempestiva foi ao aeroporto contestar a atuação de alguns jogadores.

O problema agora é saber de que forma essa pressão vai ser transformada em fato positivo para os jogadores, em campo. O time entra em campo sabendo que, ganhar o jogo é mais que uma obrigação, ainda que esteja diante do seu principal rival e, como em todo o clássico, qualquer resultado pode ser encarado como “normal”. Não é o que iria entender a torcida do Bahia.

Do outro lado da história, o Vitória vai a campo com uma disposição: voltar a ganhar um clássico Ba-Vi, o que não ocorre há nove jogos. E disposição não falta ao time de Mancini, que passou uma semana mais tranquila que o rival, ganhou o jogo que fez dentro de casa contra o Paraná e animou a sua torcida com recentes contratações consideradas importantes para reforçar o elenco que não foi bem até a primeira fase do Campeonato Brasileiro, antes da Copa da Rússia.

Nesse tipo de jogo, clássico em que o Bahia tem o mando de campo, a torcida sabe que a Arena Fonte Nova não é um campo exclusivamente do adversário. O Vitória tem costume de encarar o tricolor e uma certa tradição de jogar melhor nesse estádio do que no Barradão quando o adversário é o Bahia.

Responder sobre favorito nesse clássico é dar um tiro no pé. O normal é afirmar que jogar dentro de casa leva o time à obrigação de vencer e é assim que pensa a torcida tricolor. Mas ela sabe que, diante do seu time, estará um adversário que é imprevisível e com disposição de não decepcionar a torcida que estará ligada na TV.

No time de Enderson Moreira, algumas dores de cabeça pairam não apenas quanto à formação que será anunciada logo mais, mas em relação ao estado psicológico do grupo. Se não sair da Arena Fonte Nova com um resultado positivo diante do maior rival, Moreira, dificilmente ficará para anunciar escalações em futuros jogos. No Vitória, Mancini parece ter lugar garantido, independente do resultado do clássico.

Escalações

Bahia x Vitória
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ-FIFA)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ)
Adicionais: Daniel Victor Costa Silva e Alexandre Vargas Tavares de Jesus (ambos do RJ)

Anderson, Bruno, Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Vinícius e Zé Rafael; Gilberto e Edigar Junio.

Técnico: Enderson Moreira.

Elias, Cedric, Kanu, Aderllan e Bryan; Fillipe Soutto (Willian Farias), Arouca e Lucas Fernandes; Walysson, Neílton e Walter Bou.

                  Técnico: Vagner Mancini.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*