Denúncia: Motorista de Uber confia em proteção da Guarda Municipal mas acaba constrangido e ameaçado

Homem relata que parou o carro em local que considerou seguro contra assaltos por causa da proximidade da sede da GMC

Motorista diz que parou próximo à GM e lá não foi bem tratado pelos agentes, apesar de ter apresentado a identificação exigida(Foto: Reprodução)

Um motorista de transporte pelo aplicativo Uber entrou em contato com a redação do #AgoraNaBahia, para denunciar os problemas que enfrentou em frente à Guarda Civil Municipal(GMC), na Avenida San Martin, em Salvador, depois de parar o carro em que trabalha para fazer contato com um cliente, por telefone. Ele diz que, em vez de conseguir a segurança de que precisava, acabou sendo abordado “aos gritos” por dois integrantes da guarda e foi obrigado a sair do local onde estava, constrangido.

O motorista de prenome Eduardo, que teme sofrer represálias, contou que já era noite e ao tentar localizar o cliente com o qual estava marcada uma corrida, parou o carro em frente à GMC, por saber que a área onde estava tem relato de muitos assaltos e a parada foi uma forma de conseguir segurança para realizar a ligação por telefone e garantir que estaria seguro. “Parei na frente da base  guarda municipal na San Martin, devido o índices de assaltos na aquela região com o intuito de ligar para o cliente que solicitou uma corrida pelo Uber, não visualizei o guarda no portão fazendo jogo de luz com a lanterna, só percebi uma viatura de placa PJL 2073 que indagou o que eu estava fazendo ali, informei que parei para ligar e mostrei na tela do celular a corrida mesmo assim perguntaram se eu estava com mais alguém no carro , eu abrir as duas portas do lado esquerdo para que pudessem ver que realmente só tinha eu”, relatou Eduardo.

Ele disse ainda que os guardas não se conformaram e um deles passou a dizer que “eu estava com ranço  eu [sentimento de repulsão sobre algo), reafirmei que eu fiz tudo o que foi solicitado e ainda assim ele não gostou e, aos gritos, mandou eu descer do carro.  Fui revistado por outro guarda que me pediu o documento do carro e minha habilitação, fez sobre o carro e depois devolveu tudo”, explicou.

Imaginando que poderia seguir viagem e completar o contato com o cliente que o aguardava, ele disse que “o guarda municipal que havia dito que eu estava com ranço tomou os documentos da minha mão e puxou o celular do bolso e começou a tirar fotos minhas, me deixando com uma certa sensação de que futuramente poderia me coagir.

Ainda assim indaguei que necessidade ele tinha de fazer isso desde quando o colega dele já havia me devolvido o documento , ele disse: “você fala demais entre no carro e se saia”.

Apuração

Em contato com a assessoria de comunicação da Guarda Civil Municipal de Salvador, o #AgoraNaBahia obteve, através de nota, a informação de que o assunto vai ser apurado pela direção do órgão. A nota explica que as abordagens são comuns na área considerada de “segurança”, a veículos que os agentes considerem que estejam “em comportamento suspeito” e que imagens de câmeras estão sendo analisadas para melhor apuração do que aconteceu.

Eis a nota da GMC, na íntegra:
Em relação a uma reclamação sobre tratamento de Guardas Civis a um cidadão, quando este estava em seu veículo estacionado na frente da Sede da Guarda Civil Municipal de Salvador, o órgão informa que já solicitou, através da sua Gerência de Operações, imagens das câmeras externas de monitoramento para analisar a reclamação.
A Guarda Civil ressalta que em horários noturnos existem procedimentos de segurança que são executados com intuito de proteger as instalações do órgão, a exemplo de abordagens a veículos que estejam em comportamento suspeito e estejam na área de segurança da unidade.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*