Comemoração tamanho família: Dia da Pizza é lembrado com histórias de felicidade

Os apreciadores da boa culinária homenageiam nesta terça-feira(10), uma das invenções mais apreciadas em todo o mundo: a pizza. Popularizada em Nápoles, Itália, por volta do século 18, estima-se que a massa em forma de disco assada em forno e com cobertura é uma criação bem mais antiga, algo em torno de 6000 anos atrás. Os egípcios teriam sido os verdadeiros inventores dessa delícia.

Como o povo egípcio não deu importância ao registro, os italianos fizeram o mundo inteiro acreditar que a pizza é um prato típico local e que, ao longo dos anos, passou por diversas transformações na composição. Mas foi na criatividade dos brasileiros que a pizza só não perdeu a sua forma arredondada. Aqui, o recheio da massa encontrou sabores inéditos.

Pizzaiolos não se cansam de criar e os cardápios apresentam sabores cada vez mais diversificados. Deixou de ser simplesmente salgada, passou a ter componentes doces como chocolate, doce de leite, banana com canela e tudo o mais que a criatividade permitir.

A criatividade não dispensa o incremento de ingredientes que prendem a clientela, afinal, quase a cada esquina é possível escolher onde comer uma boa pizza. A pizza pode ser de massa alta, baixa, com ou sem borda e o tamanho depende, muitas vezes, mais do olho do que da barriga, dizem os que não se importam com o excesso de massa consumida.

Em reuniões de amigos, confraternizações, encontros rápidos ou mesmo sem nenhum motivo, a pizza tem o poder de juntar muita gente ao redor da mesa. Especialistas dizem que, comer bem ativa os hormônios da felicidade e dá um sentido ainda maior para a importância dos pequenos momentos. E se o prato for a pizza, essa alegria parece dobrar.

A estudante de gastronomia Laryssa Souza, 21 anos, define o que é a pizza na vida dela. “É uma pergunta que teria uma resposta simples, mas me remete a pensar que pizza é vida. Ela me leva a bons momentos, com a família, com os amigos. Pode ser um alimento diário”, diz.

“A pizza já é um prato tradicional brasileiro, apesar de não ter origem aqui. Os sabores são de acordo com as regiões. Aqui na Bahia temos recheio de carne seca com banana da terra, pizza de bode. Isso é bom, muito bom”, completa Laryssa, que faz questão de revelar: “Quer me fazer feliz? É só me chamar pra comer uma pizza, de preferência com esse recheio de carne seca com banana da terra”.

E se alguém acha que a pizza pode ser colocada em uma mesa qualquer, está enganado. Ela ganhou tanta notoriedade, que virou celebridade ao ponto da arquiteta e urbanista Thaís Fonseca, ter se preocupado em selecionar objetos práticos e acessíveis para a montagem de uma mesa divertida e criativa.

Aquela tradição de mesa com forro quadriculado em verde e vermelho, uma característica das cantinas italianas, está superada, apesar de resistir aos tempos.

“Comer pizza é sempre muito bom e pode ser uma atividade divertida. Quando você junta a família e os amigos para comer e faz disso uma festa, utilizando objetos coloridos e levando um pouco de humor à mesa, cria um ambiente mais leve e motivado para gerar boas recordações”, sugere Thais.

Os recheios da pizza também são “invenções” da cozinha brasileira. E nem é preciso ser chef, basta ser mesmo um pizzaiolo, com habilidade necessária para encher bordas de catupiry, cheddar e muzarela, os mais comuns, mas já há pizzas com borda de coxinha e hot dog.

E aquela história de talheres na hora de comera a pizza, também ficou para trás na criatividade dos brasileiros. O bom mesmo é sujar os dedos, pegar mesmo cada fatia com as mãos. “Se tiver oito fatias, ainda melhor”, provoca Laryssa. “No meu caso, não dispenso mostarda”, completa. Mas tem quem não abra mão do molho de tomate ou de algo apimentado. O azeite também cai bem.

De qualquer forma, no dia da pizza, é só reunir amigos e, se ficar complicado, leve a família. Se conseguir encontrar um rodízio, melhor. É só se jogar, sujar as mãos e ser feliz.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

*