Começa o Novembro Azul, cor do diabetes

Diabetes figura como a principal causa de cegueira, doenças cardiovasculares, falência renal e amputação de membros inferiores (Foto: Divulgação)
Começou hoje a mobilização em todo o mundo com a ênfase no azul, cor que reflete o céu e une todas as nações, também a cor do diabetes, cujo símbolo é um círculo azul, figura que simboliza a vida e a saúde. E o azul, como destaca, Júlia Coutinho, da Coordenação de Educação em Diabetes e Apoios à Rede (Codar), do Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (Cedeba), pode ser uma lâmpada, um jarro, um copo, uma fita azul de broche durante todo o mês. O Dia Mundial do Diabetes é 14 de novembro.

O Cedeba/ Codar envolve os 417 municípios da Bahia na Campanha em prol da vida e da qualidade de vida dos diabéticos, que no Brasil já são mais de 14 milhões. Na Bahia, 203,7 mil e mais de 13 mil em Salvador. Segundo Júlia Coutinho, a educação em diabetes é poderosa ferramenta na redução das complicações do diabetes: doenças cardiovasculares, retinopatia diabética, amputações, nefropatias, infarto silencioso. Muito importante também é o diagnóstico da doença na fase inicial e a educação voltada para o auto-cuidado, a fim de evitar e retardar as complicações.

“Seus Olhos e o Diabetes”

Mensagens educativas sobre o Diabetes estão nos cartazes e murais do Cedeba. O tema que a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia/Cedeba adotou este ano “Seus Olhos e o Diabetes”, de grande importância porque a retinopatia diabética é a primeira causa de cegueira no mundo, está bem explicitado num grande cartaz, elaborado pela Codar, e que contou com a participação de estagiárias.
O cartaz alerta para o risco de retinopatia diabética, que pode levar à cegueira, mas também orienta sobre a prevenção; “a cegueira diabética pode ser evitada com o controle do açúcar no sangue”. E mais: após 20 anos de diabetes, mais de 90% das pessoas com diabetes Tipo 1 e mais da metade com diabetes tipo 2 apresentarão algum grau de retinopatia.

A necessidade da ida ao oftalmologista pelo menos uma vez ao ano também é destacada, porque a retinopatia começa a se instalar lentamente e algumas pessoas poderão evoluir para a forma mais grave, com grande comprometimento da visão até levar à cegueira.

PÉ DIABÉTICO

O pé diabético, que conta com vasto material educativo, e que vem sendo usado pela rede de atenção básica, também ganhou destaque no mural, porque o tema será reforçado nas atividades do Novembro Azul. O cuidado com os pés é muito importante, como observa Graça Velanes, coordenadora da CODAR, porque o pé diabético é a principal causa de amputações de membros inferiores, superando os acidentes.
A programação do Dia Mundial do Diabetes, no Cedeba, acontecerá de 16 a 18 de novembro. Haverá avaliação de olhos para identificação da pressão ocular e rastreamento da alteração de retina, sob a responsabilidade das oftalmologistas Tessa Mattos e Lia Aguiar. Nos corredores do Cedeba, serão realizadas atividades educativas, por meio de Rodas de Conversa, com a participação de estagiárias do Cedeba e estudantes da Liga Bahiana de Endocrinologia.
Nos dias 16 e 18 de novembro, haverá avaliação dos pés, com vistas ao rastreamento de redução ou perda de sensibilidade protetora plantar, sinalizador de ulcerações, atividade que terá como responsáveis médicos e enfermeiros.

                        Como a Diabetes afeta os Olhos

Em artigo publico no site Tua Saúde, o clínico geral Arthur Frazão, explica, com detalhes, a relação da doença com problemas nos olhos dos pacientes. 

Todo diabético deve ter uma atenção especial à saúde de seus olhos pois as altas concentrações de glicose no sangue pode levar a diversas doenças oculares. Uma das mais frequentes complicações da diabetes é a retinopatia diabética, uma lesão no olho que pode levar à cegueira permanente. Outras doenças oculares causadas pela diabetes são: glaucoma e catarata, que também podem evoluir para cegueira, embora hajam formas de tratamento eficazes que podem trazer a cura para a doença.

Estas complicações se desenvolvem mais facilmente nas pessoas com diabetes tipo 1, e o controle da glicose e o acompanhamento frequente dos diabéticos é a forma mais eficiente de evitar estas consequências. Saiba como controlar a diabetes para evitar complicações.

As principais complicações oculares causadas pela diabetes são:

1. Retinopatia diabética

A retinopatia diabética começa de forma branda evoluindo, em alguns casos, para a forma mais grave da doença, a retinopatia diabética proliferativa, onde há um grande comprometimento da visão, podendo haver ainda hemorragia, descolamento da retina, formação de membranas opacas e neovascularização da íris.

A fotocoagulação a laser de argônio e a vitrectomia são as melhores formas de tratamento para retinopatia diabética proliferativa, porém deve-se ficar bem claro que a melhor forma de impedir a progressão da doença para cegueira é através do controle diário das taxas de açúcar no sangue e a realização de pelo menos 1 consulta anual com o oftalmologista.

Saiba mais detalhes essa doença em: Retinopatia diabética

2. Glaucoma

O glaucoma é caracterizado pelo aumento da pressão dentro do olho. Com o tempo, esta pressão alta danifica o nervo ótico, que pode levar a perda da visão lateral do seu olho. Saiba identificar os primeiros sintomas do glaucoma.

Seu tratamento pode ser feito com o uso diário de colírios para baixar a pressão no olho, mas por vezes o oftalmologista pode indicar uma cirurgia a laser.

3. Catarata

A catarata é uma espécie de nuvem que se forma sobre o cristalino do olho, que deixa a visão embaçada, seu tratamento consiste na remoção desta ‘nuvem’ e a colocação de uma lente dentro do olho. Saiba mais detalhes da cirurgia para catarata.

O que fazer em caso de suspeita de alteração visual

Se você tem diabetes e nota que está com alguma dificuldade para ler, sente dor nos olhos, se eles ficam vermelhos e se você sente alguma tontura em determinados momentos do dia, deve medir sua glicemia diariamente para saber a diabetes está devidamente controlada e seguir o tratamento indicado pelo médico para manter a taxa de açúcar no sangue sob controle.

Além disso, é aconselhado ir numa consulta com um oftalmologista para que faça todos os exames necessários para identificar precocemente qualquer complicação ocular. A melhor forma de lidar com essa situação é descobrindo logo o que tem e iniciando o tratamento adequado porque as complicações da diabetes nos olhos podem ser irreversíveis e a cegueira é uma possibilidade.

Mesmo quem ainda não apresenta nenhuma alteração visual deve ir ao oftalmologista 1 vez ao ano para realizar exames que possam identificar possíveis alterações logo que elas surgirem.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO